Adulterações das Escrituras – parte 3

imageA partir desta postagem, vamos falar um pouco das alterações ou melhor, adulterações que alteram o sentido do ensinamento.

Isto é complicado porque levam as pessoas ao erro.

Mas porque estas alterações foram feitas?

A resposta é sempre a mesma, o Sistema Religioso sempre desejou manter o controle e poder. Muitas das coisas existentes nas escrituras, se eles as mantivessem de forma intocada e original, estariam dando um tiro no pé e ficaria bem claro a intensão deles.

Preguiça de ler? Então ouça!

Antes de iniciarmos, gostaria de deixar claro algumas coisas:

Primeiro, não estou tentando convencer ninguém.

Segundo, não sou especialista, apenas estou colocando aquilo que está dentro do meu entendimento, de acordo com o que pesquiso, leio e compreendo. Por isso não estou tentando convencer ninguém.

Terceiro, uso aqui diversas ferramentas, e cada uma delas podem ser pesquisadas por qualquer pessoa.

Vou utilizar como sempre uma versão Ferreira de Almeida, versão fiel de 1920, utilizo também uma versão católica e uma versão transliterada. Hoje porém vamos utilizar também o Evangelho dos Hebreus.

O Evangelho dos Hebreus (deixarei link para download do PDF), é uma versão do evangelho de Mateus que foi encontrada em Hebraico.

Os evangelhos foram todos encontrados em Grego, língua oficial da época de dominação romana. Este é o único que foi encontrado em hebraico e após os outros já terem sidos descobertos.

Historiadores acreditam ser este mais antigo que os quatro utilizados pelas igrejas, embora elas não reconheçam, pelo menos não oficialmente.

Mas Jerônimo, responsável pela tradução das escrituras e a organização dos livros, assim como capitular e versicular as escrituras disse a respeito desta versão do Evangelho, que se trata sem dúvida de um autêntico livro e que deveria ser melhor estudado por suas diferenças dos textos utilizados.

Isto porque, assim como os historiadores acreditam, Este Evangelho deve ser o mais antigo de todos, que primeiro ele teria sido escrito em hebraico porque a intenção da Boa Nova era primeiramente interessada aos mais próximos, ou seja, ao povo Judeu de língua hebraica.

Apenas porque foi encontrado somente anos depois dos outros não significa que ele seja mais novo. Não é mesmo?

O fato é que este evangelho é bem mais completo que os demais, não tem passagens a mais, mas os textos acabam sendo mais amplos e com mais detalhes.

O que percebemos é que nele, muitas das passagens foram suprimidas pelo sistema a fim de garantir seu poder de controle e riqueza.

Embora haja muitas adulterações no que se trata do Novo Testamento, a mente sã e aberta consegue perceber aonde existe estas alterações.

Vou comparar com a versão em Aramaico que é bem próxima a estes textos e com as versões oficiais.

imageVou apenas mostrar as diferenças e comentar, não  irei mostrar todo o processo, seria exaustivo demais, mas as formas de pesquisa e estudo são simples, a simples leitura e comparação, com apoio de pesquisas na própria internet e o auxílio do meu professor de hebraico.

O Evangelho dos Hebreus foi traduzido do hebraico para o português por Sha’ul Bentsion, que pede uma contribuição pelo seu trabalho, isto é com cada um.

O link que deixo para vocês do Evangelho dos Hebreus possui notas destacadas, referentes aos textos ausentes, alterados ou acrescentados.

A principal alteração, começando logo tacando lenha no fogo, é no fim do Evangelho de

Mateus que está escrito no versículo 19-20 do capitulo 28:

Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado;

Porém esta frase (em destaque), hoje sabemos que a própria igreja Católica já assumiu que acrescentou nas escrituras, mas nos originais em GREGO, ARAMAICO e HEBRAICO, ela não se encontra. O pedido que saiam batizando, mas apenas ensinando!

Veja a versão do ARAMAICO: MANYÁOHU 28 –18-20

Toda a autoridade no shuaólmayao (Céus no Plural) e na terra me foi dada”, disse aos discípulos. Portanto, vão e façam discípulos entre todos os povos”. Ensinem-lhes a obedecer a todos os mandamentos que vos dei.

Compare com a versão Hebraica do mesmo capitulo e versículo:

E, aproximando-se Yeshua,
falou-lhes, dizendo: “Assim como meu Pai me enviou eu também vos envio. Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. 19 Portanto ide, fazei talmidim (discípulos ou seguidores) em todas as nações em Meu Nome; 20 ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado;

Esta alteração, no caso acresção, teve como objetivo evitar que pessoas saíssem do sistema em busca de outras religiões e para firmar o compromisso daquele que se convertia. Isto porque o ato do batismo era tido como um contrato de conversão inviolável.

Mas Jesus deixou claro que o batismo de água era um símbolo do arrependimento dos pecados. Apenas um símbolo, aquelas pessoas da época precisavam ver, pois não compreendiam sem ver. E Jesus afirma que batizará com fogo, com entendimento que é o espírito do Pai em nós.

imageEntão realmente se analisarmos de forma mais objetiva e sem religiosidade do sistema, percebemos que não faz sentido Jesus pedir para os seus batizarem sendo que ele ensina que o importante é o Amor ao próximo, que esta é verdadeira religião, que nos torna, melhor que nos mostra que somos ligados ao Pai e o Pai em nós.

O que é mais importante? Ser batizado para simbolizar o arrependimento ou o arrependimento de verdade? Sim, porque um símbolo é para os outros verem, já o arrependimento verdadeiro é do coração, vem de dentro do verdadeiro templo.

Quem precisa de um diploma de batismo? Exibir às demais pessoas “olha sou batizado”???

Isso, caros amigos, é propaganda, é Marketing do sistema religioso para te manter preso e atrair outras pessoas.

O batismo com fogo vem de dentro e não de fora. Reconhecer seus erros, estar verdadeiramente arrependido, não por que disseram ser errado, mas porque você reconheceu ser errado e percebeu isto em você, é como queimar.

Limpar a sujeira que existe em nós não é fácil e devemos sim, incinerar toda a sujeira e imundície que existe em nós, assim a Luz poderá resplandecer nas trevas.

Não termina aqui, termos mais sobre o Novo Testamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *