Sem igreja, mas com Templo

imageQuando eu falo do sistema, não falo da religião, mas do método empregado para se utilizar da crença e religião pessoal para fins financeiros.

Por isso eu vivo repetindo, não sou contra a religião, mas contra o sistema.

Dentro de uma religião, existem pessoas boas e com boa fé e boa vontade. Muitos possuem a chama viva do Amor dentro de si, porém com o tempo, ou o sistema apagará esta chama ou a pessoa sairá da sua igreja.

Preguiça de ler? Então ouça!

O problema e isto é bem visível, é que uma pessoa quando sai do sistema se sente perdida, as pessoas com quem convivia diariamente lhes viram as costas e ela acaba se sentido solitária.

Por esta razão acaba procurando um novo local ou volta ao antigo.

A chama se apaga.

A condição pessoal e individual é muito frágil se não tiver um apoio de outras pessoas, principalmente da família. Mas como regra geral, isso não acontece.

Imaginamos uma pessoa por exemplo, Testemunha de Jeová, cujo uma das regras é, “se uma pessoa abandona a igreja, não se deve nem mesmo conversar mais com ela.”

Isso amigos, é uma forma do sistema se proteger. Porque uma pessoa que saiu do sistema pode levar outras consigo.

Mas neste caso, uma pessoa é casada e resolve sair do sistema, porém o cônjuge não, como fica esta situação? Ou um filho sai e os pais permanecem. Como se resolve isto?

Este último fato tem uma história real por trás, conhecíamos uma moça que aos 20 anos abandonou a religião Testemunha de Jeová, sua família tentou traze-la de volta por várias vezes e diante da recusa da moça a família abandonou-a a própria sorte.

Foi expulsa de casa e passou a viver um tempo com amigos, alguns parentes de outras religiões. Enfim, ela entrou em depressão profunda e o resultado foi o suicídio.

Este caso também foi noticiado.

Em quem depositar a culpa? Na moça? Na família? Na religião? Ou no sistema religioso?

O sistema nem mesmo se preocupou, sua família, não temos informações.

imageNa escritura, pelas palavras do Salvador, é dito que “se uma pessoa pedir para caminhar uma milha, que se caminhe duas”. Isto se refere ao fato que se uma pessoa, por desvio de conduta, por exemplo, lhe forçar a seguí-la, devemos ir mais além do que ela pediu. É ajudar esta pessoa a se encontrar!

Se o sistema fosse bom, JAMAIS teriam abandonado a moça, ou qualquer membro que se afaste.

O SISTEMA, porque a religião não diz isto! Entendem a diferença nas minhas palavras?

A religião é a própria crença, o que faz a pessoa se sentir ligada com o Pai e por isso o nome Religião, que vem do latim RELIGARE ou RELIGAR!

O Sistema é a forma como usam desta ligação de fé, deturpando o ensinamento para benefício próprio ou da instituição.

Se uma pessoa se define como Evangélica, ela deve seguir os preceitos de sua religião. Se ela estiver dentro de um templo, deve se sujeitar as necessidades do templo. Ou seja, deverá pagar seu dízimo e dar sua oferta. É ela que manterá o templo, o conforto das cadeiras, a iluminação, o salário dos pastores e etc.

Mas se a prática é correta é outra coisa!

Não pensem que bater no peito e dizer que faz parte desta ou daquela religião, dizer que ama seu próximo, mas é intolerante, não pense que dar seu dízimo ou oferta que isto vai sequer te levar perto da “Salvação”.

Nem pensar!

Jesus, o Messias, Ele provocou o MAIOR evento já conhecido na história da humanidade, morreu em sacrifício. Esta foi a salvação e por esta razão estamos todos salvos.

Mas isso não garante que você não se perca no caminho. Não, isso garante que foi salvo, mas se desejar cair novamente em desgraça e se jogar no oceano das incertezas, é com cada um.

O Pai é AMOR e por isso temos que Amar ao próximo como a nós mesmos, porque se amarmos verdadeiramente, o Amor habitará em nós. O Pai habitará em nós e seremos então o TEMPLO verdadeiro.

A isto Jesus, o Messias diz: “Nem no templo, nem no monte, mas em espírito.” durante a conversa que teve com a mulher Samaritana no poço sobre aonde devemos adorar.

Entendemos então, que o Pai é Espírito, em uma tradução simplificada, Espírito é o mesmo que ENTENDIMENTO. Se o Pai é Amor, devemos Amar o próximo com Entendimento, não pode ser de forma tola. Temos que entender o que é este Amor em nós e porque devemos entregá-lo GRATUITAMENTE.

Não é um Amor de palavras, mas de espírito.

Nas palavras de Jesus, o Messias, quando ele explica a parábola do Pai que chama seus filhos para ajudar na colheita. Um diz que não vai, mas vai ajudar e o outro diz que vai, porém não vai. Ele pergunta: “Qual dos dois fez a vontade do Pai?”

Aquele que disse que não ia, mas foi!

Aquele que Ama seu próximo como a ti mesmo, mesmo que não conheça a religião cristã, mesmo que nunca ouviu falar em Jesus, mesmo que jamais frequentou uma igreja e nunca vá frequentar, mesmo que se diga ateu, este faz a vontade do Pai.

Foi o único Mandamento deixado por Jesus. AMAR ao teu próximo como a ti mesmo. Ele ainda completa, em outra passagem do mesmo significado, que “esta é a Lei e os profetas”.

Chego com isto a conclusão que brigar,discutir ou tentar provar um ponto de vista é errado, porque a verdade é uma só, AMAR COMO CRISTO NOS AMOU! Isso é seguí-lo!

imageSe eu não sei Amar, preciso aprender a Amar. O caminho é estreito, pois é fácil amar a quem nos ama, mas Amar aquele sujeito que te incomoda…. ah, isso é difícil.

Dizer que ama uma pessoa porque é gay, como dizem aí alguns dos líderes religiosos mais famosos do Brasil, é fácil, mas dizer que eles precisam ser “curados” ou mudar de jeito se quiserem entrar no reino do Pai, é intolerância e não Amor.

É desonrar o sacrifício do Cristo e tirar a força do Pai.

Ele criou cada um da forma como é e não adianta tentar argumentar contra, não podemos tornar um só fio de cabelo negro, se branco! E da mesma forma, Cristo diz que até os fios de cabelo em nossa cabeça estão contados.

Então, me diga, como tirar a autoridade do Pai diante disto? Não importa o que esteja escrito e se foi interpretado desta ou daquela maneira.

Quantos homossexuais Jesus condenou ou curou?

Ao contrário, ele amou a todos por igual.

Pessoas boas existem em todos os lugares, assim como pessoas más. Existem pessoas puras de todas as formas homossexuais ou héteros, assim como existem os depravados héteros e homossexuais.

Aos olhos do Pai não há distinção, apenas para a sociedade.

Ser a Igreja ou o Templo verdadeiro, basta Amar ao próximo. Não importa qual, mas a todos.

O que cada um faz ou deixa de fazer, não nos interessa, não é de nossa conta a vida íntima e pessoal de cada um. O que importa é a nossa vida pessoal e individual. O que nos interessa é Amar ao próximo, se vamos ou não ser amados é outra história.

Por isso Jesus disse:

Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos. Mateus 20:28

No dia do Juízo não seremos interrogados a fim de saber qual religião pregamos, quem curamos, os milagres que fizemos, em nome de quem atuamos, quanto demos de dízimo e ofertas e muito menos se Fulano ou Sicrano fez qualquer destas coisas, mas seremos perguntado o que fizemos em Amor ao nosso próximo.

Se demos de beber a quem teve sede, comer a quem tinha fome, abrigo a quem estava desabrigado, roupas a quem estava nu, se visitamos em suas doenças e agonias, durantes suas tribulações.

Por isso, não vamos mais nos preocupar com religião, quem é de quem, quem está salvo ou não… isso não nos cabe nem é Amor. Vamos cuidar de nosso Entendimento, do nosso espírito e de nosso ser.

Está tudo escrito, basta ler.

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *